Maquete de Jerusalém

Visualizar a antiga maquete de Jerusalém no auge do seu poder assemelha-se uma amostra 3D de toda uma rica história.

Na maquete é possível visualizar o Segundo Templo dourado e a extensão do seu pátio, os palácios dos Herodes , dos Hasmoneans, as ruas e os mercados são todos identificáveis.

Voltar ao tempo através de uma maquete é viajar a 66 dC, ano fatídico em que a Grande Revolta contra os Romanos entrou em erupção, resultando na destruição da cidade e do Templo construído por Herodes o Grande.

A crucificação de Jesus Cristo foi apenas 36 anos antes, e uma pequena amostra do calvário pode ser visto fora do Segundo Muro (mas bem dentro do novo muro norte iniciado por Herodes Agripa I).

A cidade antiga era então a sua maior, espalhando mais de 180 hectares – mais do dobro do tamanho da atual Cidade Velha.

Aconstrução do modelo da antiga Jerusalém foi desenvolvida em 1960 por Hans Kroch, dono do Hotel Holyland, em homenagem ao de seu filho Jacob, que foi morto na guerra árabe-israelense de 1948, o modelo possui mais de 4000 metros quadrados, originalmente na propriedade do hotel, foi transportado em 1000 peças para seu site atual, a 5 km de distância, em 2006.

Um verdadeiro esforço foi empreendido pelo professor Michael Avi-Yonah da Universidade Hebraica de Jerusalém, liderando outros historiadores e arquitetos que conseguiram contribuir para a recriação da antiga Jerusalém.

As fontes utilizadas para a construção dessa maquete foram os documentos escritos do período romano, antigas técnicas de construção utilizadas em cidades semelhantes a Jerusalém e descobertas arqueológicas.

Dentro de toda essa atmosfera de satisfação com o projeto, ainda existem vozes que questionam certos aspectos do modelo, é o casodo arqueólogo Murphy-O’Connor que afirma que:  “Os retratos do Templo e do Palácio de Herodes são excelentes, mas a apresentação da parte norte da cidade quase certamente está errada. A linha assumida pela parede mais ao norte do modelo baseia-se em evidências arqueológicas inadequadas, e todos os edifícios que ela encerra são o produto da pura imaginação “.

Outra fonte de discórdia entre os estudiosos característica que parece é a cobertura deazulejos vermelhos que foge um pouco das características da época e não apresentam muito respaldo arqueológico. Nenhum telhado foi encontrado em escavações de Jerusalém, mesmo porque essa não era uma característica muito marcante naquele período, embora, sejam detalhem que possam ser facilmente contornáveis.

2017-12-23T20:56:05+00:00 dezembro 22nd, 2017